Dia da Família

Geralmente a família tem a sua origem num namoro, breve ou duradouro, entre duas pessoas. Nesta fase de formação da família, o par conjugal procura colocar de parte qualquer divergência ou característica menos atraente da pessoa amada e faz figas que, com a convivência, se vão ajustando à medida um do outro. Aquando a fase do namoro, materializa-se o matrimónio ou união de facto, onde surge a necessidade de um ajuste diário em busca pela individualidade de cada parceiro, mas também dos mesmos enquanto casal.
Com o nascimento dos filhos ou da sua adoção, a família ganha outra dimensão, assim como surge uma necessidade de reorganização do funcionamento e da estrutura familiar, onde se procura promover o primeiro meio de socialização aos filhos.
Por imitação e identificação, os filhos vão apreendendo regras sociais, valores e atitudes demonstrados por essas figuras de referência, e que mais tarde vão sendo adaptados. Dada a importância da família, enquanto primeiro meio socializador, a mesma deve garantir e promover na criança a satisfação das suas necessidades materiais e emocionais, promovendo autoconfiança, autocritica e autoestima, entre outras habilidades que possibilitem a criança de estabelecer e desenvolver relações sadias e, daí resultante, um crescimento harmonioso.

Patrícia Matos
Psicologa CDIJA